Perigos do crédito fácil

Com a facilidade de tomar empréstimos e financiamentos, muitas famílias que nunca tiveram acesso ao crédito hoje encontram-se endividadas por não saber utiliza-lo com prudência.


Imprimir

Inscreva-se!

Nos últimos anos o que se viu no Brasil foi um grande estimulo ao crédito e ao consumo, o que de certa forma ajudou a aquecer a economia em diversos setores, uma vez que as pessoas foram as compras e realizaram diversos sonhos, como a aquisição da casa própria, do carro novo e da compra de móveis, eletrodomésticos e eletroeletrônicos para a casa.

No entanto como citado, a maior parte dessas compras foram realizadas a prazo ou financiadas, justamente pelas facilidades do crédito fácil e abundante, e assim milhares de famílias encontram-se hoje com uma enorme quantidade de contas e boletos a serem pagos, e o pior muitas dessas dívidas são longas, como da casa própria financiada em 30 anos, do carro zero financiado em 5 anos ou mais, e das diversas prestações em lojas de eletrodoméstico.

credito-facilE neste momento é que deve-se acender a luz amarela, visto que todas essas pessoas que foram as compras, sem dinheiro algum no bolso, somente com na base do crédito, acabaram adiantando o consumo e antecipando sonhos, e quando você antecipa sonhos sem condições de pagar o mesmo a vista, tem um grande ônus que são os juros, que no Brasil ainda são bem altos.

Ou seja, ao acabar realizando diversos financiamentos e dividas para antecipar os sonhos de consumo e desejo você acaba levando por muitos anos um fardo muito grande e pesado que são os juros, onde no final o consumidor acaba pagando duas ou até mesmo três vezes o valor inicial do bem, seja ele uma casa, carro ou algum eletrodoméstico.

E na minha análise esse é um dos grandes problemas e perigos do crédito fácil, pois as pessoas acabam antecipando esse consumo, e criando dividas quase vitalícias, impedindo que essas pessoas e famílias venham a comprar novas coisas a curto e médio prazo, e se analisarmos isso vemos inúmeros outros perigos.

E um deles esta relacionado a industria e comercio em geral, afinal quem compra um carro para pagar em 60 vezes, por exemplo, não vai comprar um carro novo nos próximos anos, afinal esta endividado, e o mesmo vale para imóveis eletro, enfim, ou seja, existe um grande risco da estagnação das vendas em muitos setores, e quando a industria e o comercio não vende, o que acontece?

O empresário tem que cortar custos e diminuir a produção pode acabar demitindo, e ao gerar desemprego serão menos pessoas com renda e isso pode afetar a engrenagem da economia como um todo, e mais demissões podem vir a acontecer.

Como podemos perceber, crédito é muito, mas quando usado de forma consciente, tanto pelas famílias quanto pelo governo, caso contrário existem inúmeros riscos para a economia de um país todo, alguns desses você pode conferir nas linhas acima.

Não podemos esquecer ainda de outro efeito colateral muito grave, que é a inflação, uma vez que com esse boom de crédito farto, a industria em geral não consegue acompanhar a demanda, e aqui entra aquela velha história de oferta e procura, ou seja, mais compradores para menos produtos, os preços irão subir.

E como exemplos temos os preços dos veículos no Brasil, que subiram bastante, mesmo com o incentivo do governo com a baixa do IPI, sem contar o mercado imobiliário, que praticamente dobrou de preço nos últimos anos, principalmente pelos incentivos do governo e da facilidade em aprovação de financiamentos.

Em resumo, ao tomar crédito, faça sempre as contas, analise, não se deixe levar pela ansiedade da realização de determinado sonho, seja prudente, lembre que você pode contrair uma dívida que irá durar boa parte da sua vida, e quem sabe uma situação dessas acabe ofuscando todas as alegrias de ter aquele sonho realizado.



Navegue:

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *