Condutores e isolantes elétricos-Semicondutores e supercondutores

Neste artigo trazemos um breve resumo a respeito do assunto, especialmente para quem esta iniciando seus estudos a respeito dos processos de eletrização.


Imprimir

Inscreva-se!

Condutores e isolantes

Quando falamos em processos de eletrização, é fundamental lembrar que temos os corpos condutores e isolantes.

Condutores:
São corpos no qual existe o deslocamento das cargas elétricas, metais e soluções aquosas de ácidos são exemplos de condutores de cargas elétricas.

Para quem esta estudando o assunto, não pode esquecer de algumas características dos condutores:
– Em todo condutor eletrizado, o excesso das cargas elétricas ficam localizadas em sua superfície externa;
– Caso o condutor venha a possuir um formato esférico, lembre-se que a distribuição das cargas elétricas é uniforme;
Poder das pontas: Em condutores não esféricos, a maior concentração de cargas será localizada nas regiões pontiagudas do corpo.

Isolantes:
Diferentemente dos condutores, os corpos isolantes ou dielétrico não permitem o deslocamento de cargas elétricas, o vidro, a madeira a borracha são exemplos de materiais isolantes.

Essa é uma comparação bastante simplista, entre os condutores e isolantes, uma vez que qualquer corpo permite o deslocamento de cargas elétricas, sendo que alguns mais, como o caso dos condutores e outros menos, que é o caso dos isolantes.

Semicondutores e supercondutores

Semicondutores:
Quem esta iniciando seus estudos em eletricidades, não deve esquecer que existe uma categoria intermediária entre os condutores e isolantes que são os semicondutores.

Utilização dos semicondutores: O silício e o germânio são exemplos de materiais semicondutores amplamente utilizados em equipamentos eletrônicos, o silício em especial, é um dos elementos mais abundante da crosta terrestre é utilizado para produção de ligas metálicas e componentes eletrônicos, os processados dos computadores são exemplos de componentes eletrônicos que utilizam o silício.

Supercondutores:
E para finalizar, ainda existem os corpos supercondutores, cuja a resistência para o deslocamento de cargas elétricas é praticamente nula.

Heike Kamerlingh Onnes

Heike Kamerlingh Onnes

A descoberta da supercondutividade se deu no ano de 1911, quando o físico holandês Heike Kamerlingh Onnes observou que o mercúrio na forma sólida se resfriado a uma temperatura extremamente baixa, aproximadamente -270°C, perde praticamente toda a resistência elétrica.

Atualmente existe diversas pesquisas e desenvolvimento de materiais com características supercondutoras a temperaturas mais elevadas.



Navegue:
Um comentário

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *