Leis de Kepler resumo-Mecânica Celeste

Kepler é responsável pela elaboração das Leis da Mecânica Celeste, que são as Leis de Kepler, Lei das Órbitas, das Áreas e dos tempos.


Imprimir

Inscreva-se!

Nascido na pequena cidade alemã de Weil der Stadt, no dia 27 de dezembro de 1571, Johannes Kepler veio a falecer em novembro de 1630, pouco antes de completar 59 anos de idade.

E nestes quase 59 anos de vida, Johannes Kepler colocou para sempre seu nome na história uma vez que como grande cientista que foi, é responsável por ter formulado as leis da mecânica celeste, mais conhecidas como as três leis de Kepler ou simplesmente Leis de Kepler, as quais você poderá conferir de forma mais detalhada na sequencia.

Lei das Órbitas;
Lei das Áreas;
Lei dos tempos;
Dica Final

Primeira – Lei das Órbitas

Nesta primeira Lei de Kepler , diz que:

“Os planetas descrevem orbitas elípticas, onde o Sol ocupa um dos focos”

Antes da definição dessa leia, acreditava-se que os planetas possuíam uma órbitas circulares, e não elípticas.
lei das orbitas

Importante lembrar!
– Afélio:

É o ponto no qual o planeta encontra-se mais afastado do Sol, neste momento a órbita do planeta é mais lento.

No Afélio do Planeta Terra, que acontece no mês de julho, o nosso planeta fica a cerca de 152.000.000 km(152 milhões de km) do Sol.

– Periélio:

Ponto onde o planeta em questão encontra-se mais próximo do Sol, nesta situação o planeta possui uma órbita mais rápida.

No Periélio da Terra, que inicia no mês de dezembro, o planeta fica a aproximadamente 147.000.000km(147 milhões de km) do Sol, ou seja, uma diferença de cerca de 5 milhões de km se comparado ao Afélio.

Segunda – Lei das Áreas

Nesta segunda lei de Kepler temos que:
“As áreas descritas pelos raios vetores, que unem o Sol aos planetas, são proporcionais ao tempo gasto em descrevê-las”

Ou seja, quanto mais próximo do Sol mais rápida será a velocidade do planeta, e quanto mais distante, mais lento será a sua velocidade.

Confira a imagem a baixo para melhor entendimento:
lei das areas
Na imagem podemos conferir que o tempo gasto para um planeta ir do ponto A(Pa) até o ponto B(Pb)(T1) é igual ao tempo gasto para este percorrer o ponto C(Pc) ao ponto D(Pd)(T2), com isso A1 é igual a A2, em resumo tempo que:

– Tempo de Pa até Pb(T1) é igual ao Tempo de Pc até Pd(T2), ou seja T1=T2;
– A área de A1 é igual A2, ou seja A1 = A2;

Lembrando que de Pa à Pb, o planeta encontra-se com uma velocidade maior, uma vez que esta mais próximo do Sol, e de Pc a Pd a sua velocidade de orbita é mais baixo, uma vez que encontra-se mais afastado do Sol.

Terceira – Lei dos tempos

Na terceira lei de Kepler vemos que:

“O quadrado dos tempos das revoluções(translação) dos planetas são proporcionais ao cubo de suas distâncias médias ao Sol”

Com isso temos: T² = ka³

Onde:

T = Tempos das revoluções
k = Constante de proporcionalidade;
a = Distâncias médias ao Sol

Nesta lei verifica-se uma relação entre a distância de um planeta e o tempo que o mesmo leva para completar uma revolução completa em torno do Sol, por isso quanto mais afastado do Sol o planeta estiver, mais tempo o mesmo levará para concluir a sua translação.

Dica Final

O fato do planeta Terra estar no Periélio em dezembro e no Afélio em julho NÃO determina a ocorrência do verão e inverno respectivamente, é importante lembrar disso, visto que em alguns vestibulares, podem cair questões onde colocam tal situação como verdadeira, mas que que na verdade é FALSA, por isso é sempre importante bastante atenção no momento da leitura para não acabar caindo nesse tipo de “pegadinha”.



Navegue:

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *